Como proteger a sua empresa contra ameaças de e-mail

O e-mail é a ferramenta mais utilizada pelos cibercriminosos para hackear empresas e organizações. Para você ter uma ideia, o relatório da Verizon sobre vazamentos de dados, de 2019, por exemplo, aponta que 94% dos ataques de malware são realizados por meio de e-mails maliciosos.

Em outras palavras, nós podemos dizer que praticamente todas as infecções causadas por malware, o que inclui ransomware, trojan, spyware e outros tipos de ameaças, têm início com um e-mail malicioso.

O principal motivo pelo qual os hackers gostam tanto do e-mail é óbvio: o e-mail é a ferramenta ou plataforma de comunicação e de transmissão de dados e informações mais utilizada por empresas e pessoas no mundo todo.

Segundo a empresa de consultoria e pesquisa Radicati Group, o número de e-mail enviados e recebidos por dia ultrapassará 306 bilhões em 2020. É estimado ainda que até 2024 este número chegue a 361 bilhões de e-mails.

São inúmeras mensagens que criam inúmeras oportunidades para pessoas mal-intencionadas. O pior é que, ao longo dos anos, os ataques de e-mail, e outros tipos de ciberataques também, estão se tornando cada vez mais complexos e sofisticados, exigindo novas medidas e soluções de proteção.

No caso de empresas, então, a segurança de e-mail é ainda mais fundamental, já que o e-mail, geralmente, carrega informações e dados confidenciais e ainda pode servir como uma backdoor, ou porta de entrada, para ameaças que podem comprometer toda a operação da organização, paralisando tudo.

Por falar em proteção de e-mail, aqui, na Sauk, nós somos especializados também em segurança da informação. O nosso time de experts pode guiar a sua empresa independentemente da demanda de segurança que você tenha. Se quiser saber mais, fale com os nossos especialistas.

Ícone de Proteção.

Precisa de ajuda com proteção de e-mail para a sua empresa?

A Sauk é especialista em segurança da informação e vai ajudar a proteger sua rede e seus usuários. Converse com um dos nossos especialistas:

Principais ameaças e ataques de e-mail

1. Phishing

O phishing é um dos principais golpes de e-mail. Em um típico ataque de phishing, o hacker tenta se passar por um indivíduo ou uma empresa conhecida para roubar dados pessoais e confidenciais, como, por exemplo, credenciais de login e dados de cartão de crédito.

Segundo relatório do FBI sobre crimes cibernéticos, de 2019, o phishing é o golpe de internet com o maior número de vítimas reportadas. São mais de 100.000 casos registrados, totalizando prejuízos de 57 milhões de dólares.

2. Spam

De acordo com a equipe de inteligência de ameaças cibernéticas Cisco Talos Intelligence Group, cerca de 80% do tráfego mundial de e-mail trata-se de spam, ou de mensagens não solicitadas.

Há quem diga que o spam não é tão malicioso e prejudicial. Mas não é bem assim. Obviamente, há casos de spam que não carregam ameaças. São, geralmente, aqueles e-mails com ofertas e propagandas intermináveis. Mas, mesmo assim, o spam é prejudicial.

O motivo é que esses e-mails indesejados interferem diretamente no ambiente corporativo, comprometendo a produtividade dos colaboradores. Além disso, ao interagir com mensagens de spam, o colaborador está mais sujeito a se tornar vítima de um golpe, o que pode afetar toda a empresa.

3. BEC ou Business Email Compromise

Os ataques de BEC têm estampado diversos canais de notícias. O BEC ocorre quando o fraudador usa o e-mail para tentar se passar por um diretor, presidente ou funcionário de uma empresa. 

O golpe é conhecido também como Fraude do CEO.

Vamos dar um exemplo real de BEC. Em 2018, a empresa de cinema Pathé sofreu um ataque de BEC estimado em prejuízos de 19 milhões de euros. O fraudador se passou pelo CEO da empresa francesa, usando um endereço de e-mail similar ao original, e exigiu do departamento financeiro a transferência de dinheiro.

Dados do FBI apontam que, nos últimos anos, ataques de BEC causaram prejuízos de 26 bilhões de dólares. Deste modo, o BEC se enquadra como uma das ameaças de e-mail mais perigosas que existem para empresas e organizações.

4. Ransomware

O ransomware é hoje uma das principais ameaças cibernéticas ao ambiente corporativo. O ransomware é definido como um tipo de malware que sequestra dados ou sistemas por meio de criptografia, e só os libera depois que um resgate, normalmente exigido em bitcoin, é pago.

Por mais um ano seguido, em seu relatório sobre o crime organizado na internet, a Europol elegeu o ransomware como a principal ameaça do ano. A agência europeia diz ainda que os hackers estão chantageando as vítimas, afirmando que vão leiloar ou vender os dados sequestrados.

Nos casos de vazamentos de dados registrados pela Verizon que tiveram a participação de malware, o uso de ransomware está envolvido em 28% dos incidentes. Ou seja, o ransomware é um dos tipos de malware mais utilizados para hackear empresas e organizações.

Em ataques de e-mail, os vetores de ransomware e outros malwares são anexos e links maliciosos, que, a princípio, parecem confiáveis.

Como proteger o e-mail corporativo contra ameaças

Para proteger o e-mail da sua empresa contra ameaças cibernéticas, o primeiro passo é investir em uma solução de e-mail gateway

O e-mail gateway é um produto que utiliza inteligência artificial e outros mecanismos de defesa para detectar e bloquear diferentes tipos de ataques, como spam, phishing, ransomware e BEC. Esta solução vai adicionar uma camada extra de proteção à sua plataforma de e-mail, seja ela o Office 365 ou o Exchange, por exemplo.

Além do e-mail gateway, é importante que a sua empresa invista em conscientização sobre segurança. Ou seja, você precisa treinar o seu time para reconhecer golpes e fraudes.

A melhor maneira de fazer isso é utilizando uma solução de simulação de phishing. O objetivo do simulador de phishing é permitir que você teste e, consequentemente, eduque os seus colaboradores utilizando diferentes tipos de e-mails maliciosos.

Atuando com essas duas soluções você terá um sistema robusto de defesa do seu e-mail corporativo. Se você deseja ter mais informações sobre o assunto, converse com os nossos experts em cibersegurança.